domingo, 26 de dezembro de 2010

Construções primitivas em Portugal - Quarteira

Este pequeno excerto pode ser encontrado na obra Construções primitivas em Portugal, é significativo, pelo facto de atempadamente ter sido feito um estudo acerca das cabanas de junco de Quarteira.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Tese de Licenciatura de Susana Gama - “Para o estudo da população de Quarteira no século XVIII"


Na dissertação de Susana Gama, “Para o estudo da população de Quarteira no século XVIII – Quarteira nos Registos Paroquiais da freguesia de S. Sebastião de Boliqueime, Loulé ” existe uma frase a qual achei muito interessante.

“Nesta praya se faz todos os annos armação de atum, corvina, sarrajão, e pargo, e he a mayor, e de mais fabrica, que há em todo o Reyno do Algarve.”
P.e Luiz Cardoso,
Diccionario Geografico, 1747-1751 ,p.202.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Crónica Testemunhos do Tempo – A Primeira Reflexão: carteia

Acredito que a melhor forma de começar é através de uma primeira reflexão, que possa contribuir para o desmistificar de muito do passado desta freguesia caracterizada como terra de pescadores e turismo.Seguindo, esta linha de pensamento, elimine-mos de vez este grande erro da historiografia moderna – alimentado por alguns historiadores e gentes locais –, que apontam Quarteira como sendo a carteia pré-romana.
A trama remonta ao século XVIII e ao frade franciscano Vicente Salgado na sua obra «Memórias Eclesiásticas do Reino do Algarve, Lisboa 1786» identifica Quarteira comocarteia.Esta identificação não deixa de ser questionável, dado que a mesma só foi possível através de supostos achados numismáticos, em que o próprio terá identificado em duas moedas; um tridente, a palavra carteia e delfins –golfinhos – ou atuns.

As moedas visíveis na imagem são oriundas de carteia em San Roque, Cadiz , datam do século II e I a.C, e são demonstrativas daquilo que Vicente Salgado poderá ter encontrado.

Contudo, podemos colocar o problema: O que faziam moedas de carteia (Cadiz) em Quarteira? Devido a trocas comerciais existentes entre as colónias Peninsulares, a importancia económica e geográfica de carteia, é normal que o fluxo de moeda cunhada nesta cidade da Hispania chegasse até estes territórios. Logo, toda e qualquer aproximação entre Quarteira e carteia, só pode ser explicado por erros a nível da Historiografia, deixando em aberto a questão: Qual a origem do topónimo Quarteira?


João Santos

25 de Outubro de 2009

domingo, 28 de novembro de 2010

Fábio Nobre - Apresentação do Livro "No dia em que envelheci" Sábado Dia 11 de Dezembro no Centro Autárquico de Quarteira


"Fábio Nobre é um jovem quarteirense de 22 anos, licenciado em Ciências da Comunicação, pela Universidade Nova de Lisboa, e que acaba de se lançar no mundo da literatura com o seu primeiro livro. "No dia em que Envelheci" dá o mote à sua primeira obra, que será oficialmente lançada no dia 11 de Dezembro."

in, Carteia, 28 de Novembro de 2010

Fábio congratulo-te pelo livro e pelo significado que este feito traz para Quarteira, espero que no futuro nos possas proporcionar mais obras. No entanto deixo um reparo aos leitores deste blog. A evolução de uma terra pode ser medida através da dinâmica cultural que esta apresenta, e o facto dos seus habitantes reunidos em colectividades de índole cultural ou como no caso do Fábio a título individual, escolherem a nossa terra para este tipo de iniciativas, é um factor preponderante para Quarteira ser melhor e mais atractiva a nível cultural. Rompendo com a centralização cultural que ocorre na sede de concelho, Quarteira ás suas custas inverte essa tendência.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

100 Anos de República!

Hoje celebramos o centenário da implantação da República Portuguesa. Passados 100 anos, uma ditadura no meio, pouco sabemos do espírito republicano que deu origem à res (coisa) pública. Na edição online de hoje do jornal "Público" existe uma votação com a seguinte pergunta ao leitor; "O que aprendemos com as comemorações do centenário da República?". Cerca de 73% dos leitores consideram a opção "Nada", 17% "Pouco" e 9% "Muito".

Serve de reflexão...

in, Jornal Público, 5 de Outubro de 2010

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

XII Encontro de Música Antiga de Loulé - Dorothee Oberlinger e Sonatori della Gioiosa Marca em Quarteira

"De 26 de Setembro a 23 de Outubro, as freguesias do Concelho de Loulé recebem o XII Encontro de Música Antiga de Loulé.

Neste evento que é já uma referência no programa cultural promovido pela Câmara Municipal de Loulé, as igrejas irão receber a música do passado, interpretada por conceituados agrupamentos portugueses que se encontram a divulgar repertório situado entre a Idade Média e finais do século XVIII, mas também prestigiados grupos europeus.

Mais uma vez iremos assistir a uma descentralização cultural efectiva que irá abranger várias localidades do Concelho, em concertos com cópias de instrumentos da época, utilizados em interpretações historicamente esclarecidas, num acontecimento de características únicas no País."

Dorothee Oberlinger e Sonatori de la Gioiosa Marca

9 Outubro (sábado), 21h30

Programa - Sonatas Italianas

Local - Igreja de Nª Srª da Conceição / Quarteira

Restantes concertos consultar aqui.

In, CML, 23 de Setembro de 2010

Embora a descentralização seja realidade, seria muito bem-vindo pelo menos mais um concerto neste programa.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Casino de Quarteira - Notícia Correio da Manhã "Autarquia quer comprar antigo casino"

Legenda: Notícia Correio da Manhã, 22 de Setembro de 2010

Esta notícia no jornal Correio da Manhã, não sai por mero acaso, somos levados a pensar que estará para próximo uma resolução deste problema que se arrasta há muito. Há que relembrar que é um dos grandes exemplos do património histórico edificado de Quarteira e tem que ser salvaguardado de forma a conseguir explorar o seu potencial turístico-educativo e construindo para uma melhor imagem do centro histórico.

domingo, 12 de setembro de 2010

Curiosidade - Torre de Quarteira "mandada demolir, em 1936, por uma vereação louletana"

Legenda: Torre de Quarteira
Legenda: António De Sousa Pontes, Os Morgados de Quarteira, Edição da Junta de Turismo de Quarteira, 1960

Mais uma informação histórica para pensar...

domingo, 5 de setembro de 2010

Curso de Património Cultural da Universidade do Algarve

Esta é uma altura do ano em que muitos jovens ingressam pela primeira vez no ensino superior e é normal a existência de dúvidas em relação ao curso que melhor lhes poderá servir. Decidi colocar este tópico no blog devido às dúvidas de uma pessoa amiga. Tinha pretensões de ingressar num curso de História com o objectivo da via do ensino, mas deve se ter esquecido que estamos em Portugal e de momento ser professor não é muito abonatório. Então aconselhei o Curso de Património Cultural (link) da Universidade do Algarve.

"LICENCIATURA EM PATRIMÓNIO CULTURAL


A licenciatura em Património Cultural é um curso de 1.º ciclo que se desenvolve em três anos segundo os critérios do Processo de Bolonha. Pretende formar profissionais habilitados, científica e tecnicamente, na inventariação, preservação e valorização do património construído, arqueológico e histórico do País. Este curso enquadra-se e surge como resposta ao progressivo interesse e preocupações sentidas nas duas últimas décadas, em Portugal e na Europa, pelas problemáticas patrimoniais, bem corporizadas em recentes planos e programas de desenvolvimento e ordenamento regionais ou nacionais onde o património natural e cultural é reconhecido como factor de diferenciação potenciador de desenvolvimento. O graduado do curso de Património Cultural deverá ter a capacidade para recolher, seleccionar, interpretar e avaliar todos os dados referentes à área científica em questão, de forma a poder fazer diagnósticos correctos, actuar responsavelmente e com os devidos conhecimentos científicos, técnicos, sociais e éticos, bem como reencaminhar e saber dialogar com peritos em áreas de intervenção específicas. Estas competências permitirão o exercício de qualidade num campo de conhecimento vastíssimo, como é o do Património Cultural.

ÁREA CIENTIFÍCA


Artes, Literatura e História

PROVAS DE ACESSO


(12) História da Cultura e Artes ou (18) Português ou (11) História (Atenção poderão ser outras)

SAÍDAS PROFISSIONAIS


O graduado do curso de Património Cultural da Universidade do Algarve terá um mercado diversificado de trabalho, não só ao nível do Estado, tanto em organismos centrais como autárquicos, mas também em instituições privadas e, finalmente, como empresário e técnico especialista na área profissional em questão: - Organismos tutelares do património (IGESPAR, IPMC); - Serviços culturais de inventariação e preservação de bens culturais; - Gabinetes de estudos integrados e gabinetes técnicos locais; - Equipas pluridisciplinares em projectos de intervenção e reabilitação patrimonial; - Museus, sítios patrimoniais e demais organismos de gestão e fruição de bens patrimoniais; - Associações de defesa do património; - Empresas especializadas em arqueologia e intervenção patrimonial; - Empresas de divulgação e promoção cultural; - Comissões de bens culturais da Igreja."


É uma excelente alternativa para quem deseja trabalhar de perto com o Património Cultural em toda a sua grandeza e a própria História.

sábado, 4 de setembro de 2010

Cadeia de Quarteira

Legenda: Cadeia de Quarteira - Rua Sacadura Cabral

Inúmeros relatos populares fazem menção à cadeia de Quarteira, e nas duas ou três horas que se passava no local em caso de delito menor. Uma lembrança ainda muito presente!

sábado, 21 de agosto de 2010

Quarteira - Um Exemplo de Conservação!

Legenda: Casa em Quarteira

É do consenso popular que a a cidade de Quarteira apresenta poucos exemplos de conservação de casas antigas, devido a construção que ao longo dos tempos deitou por terra muitos exemplares de arquitectura tradicional Algarvia.

Contudo os proprietários desta casa localizada na Rua do Depósito e proveniente do ano de 1929 conseguiram proporcionar-lhe um óptimo estado de conservação.

Embora possam ser apresentadas algumas questões mais técnicas, temos que felicitar os proprietários por terem apostado em cores tradicionais e não terem deturpado a fachada da casa.

Para Quarteira é um exemplo de conservação!

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Praça do Mar - DOC.A - Mostra de Cinema Documental "O Algarve Documentado"

Nos dias 12, 14 e 15 de Agosto na Praça do Mar em Quarteira vai ter lugar a projecção de documentários com a témática "O Algarve Docmentado". Fazemos especial alusão ao documentário do dia 12 de Agosto relativo ao nosso grande Poeta Pardal o Poeta Pescador. Não faltem!

12/Ago, 5ª feira - 21:30 horas: “Mau Tempo, Marés e Mudança”, de Ricardo Costa;

"A personagem central deste filme é o poeta Manuel Pardal, pescador algarvio de Quarteira, um repentista: um dos representantes da tradição oral da literatura popular na poesia. Manuel Pardal, pescador na vila algarvia de Quarteira, é um poeta analfabeto, como quase todos os improvisadores populares. Como outros poetas do Alentejo e do Algarve, tal como o bem conhecido António Aleixo: o único repentista pescador de que há memória na literatura popular em Portugal."

14/Ago, Sábado - 21:30 horas: “António Aleixo-Na Terra Acho na Terra Deixo”, de Carlos Fraga; 22: 30horas: “Ilha”, de Mauro Amaral e Carlos Fraga;

15/Ago, Domingo - 21:30 horas: “Folk-Lore Vídeo Magazine II”, de Tiago Pereira; 21:40 horas: “O Labirinto do Atum”, de João Romão e Vico Ughetto; 22:40 horas: “Praia de Monte Gordo”, de Sofia Trincão e Óscar Clemente.

in, Projecto Camone, 11 de Agosto de 2010

sábado, 7 de agosto de 2010

Outros sites: Moinho de Água no Almargem

Legenda: Moinho de água no Almagem

"Foi lá no moinho d´água
Que por ti m`enamorei
E as mós cantaram mágoas
Do tanto que por ti chorei

E as mós foram parando
Com a velhice que chegou
Moinho d`água está lembrando
Cada lágrima que rodou

Autor:Marias"

in, http://cafedaavozinha.blogspot.com, Junho de 2009

Com o desaparecer sistemático deste património, não estaremos a perder oportunidades únicas? Dá que pensar!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Curiosidades - Escaiola na Rua 25 de Abril!

Legenda: fachada da casa

Legenda: pormenor dos desenhos

Nas proximidades da Igreja Matriz de Quarteira, na Rua 25 de Abril podemos encontrar uma escaiola sobrevivente em muito bom estado de conservação. O que afinal é algo que acaba por ser surpreendente devido às questões urbanísticas que paulatinamente deformaram esta cidade.

Este acabamento decorativo é tido como: "Técnica de imitação do mármore e de outras pedras naturais, feita pela impregnação de cores no estuque, é em Portugal designada por escaiola" e "Em alguns locais também se denomina escaiola aos fingidos de pedra, sendo assim uma técnica de pintura e não de massa."
in, Paulo Malta da Silveira, Maria do Rosário Veiga, Jorge de Brito, Fingidos por pintura em estuques antigos

Estamos perante uma das grandes riquezas do nosso património arquitectónico que são os acabamentos decorativos e assim sendo devem de ser preservados e salvaguardados.

domingo, 25 de julho de 2010

Património Histórico Edificado de Quarteira

Muitos serão os exemplos daquilo a podemos chamar: "Património Histórico Edificado de Quarteira " que irão ser expostos no blog. Seria interessante que os nossos leitores/visitantes/utilizadores conseguissem descortinar a localização deste património.

Em que rua podemos encontrá-lo?

sábado, 17 de julho de 2010

Trabalhos Arqueológicos de Emergência - Sítio Romano da Praia do Trafal em Quarteira (Loulé Velho).

Legenda: Localização da Sepultura
Legenda: Sepultura

No dia 14 de Abril de 2010 foi dado o alerta para a existência de ossos humanos a cerca de três metros de altura dentro de uma arriba na Praia do Trafal em Quarteira. Rapidamente se identificou como sendo uma sepultura romana devido às tegulae colocadas sobre os restos humanos e através da presença romana anteriormente registada no sítio.

A intervenção no local salvaguardou estes restos humanos que são vitais para conhecer a presença humana na Freguesia de Quarteira e de que forma isso nos influência actualmente. Por último há que mencionar que o acompanhamento realizado pelo Testemunhos de Quarteira até ao culminar com a escavação da sepultura, é exemplar e defende acima de tudo a História da nossa Freguesia.

A única coisa que há a lamentar é que o úmero e fémur direitos ainda presentes na data da descoberta, na altura da intervenção já tinham sido levados pelo "mar" ou pelos mesmos cidadãos que decidiram usar os restos para tiro ao alvo.

Por último, mas não menos importante quero agradecer à aluna do Mestrado de História do Algarve da Universidade do Algarve, Susana Martins por ter partilhado estas fotografias.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

terça-feira, 6 de julho de 2010

Sepultura Romana Praia do Trafal (loulé Velho) em Quarteira - IV (Afinal algo está a ser feito!)

Afinal, algo está a ser feito relativamente à Sepultura Romana encontrada na arriba da Praia do Trafal em Quarteira.
É com agrado que tomei conhecimento que finalmente as autoridades competentes neste domínios da arqueologia se prenunciaram acerca desta questão. Comento este texto não com a finalidade de retirar crédito algum da descoberta da sepultura romana na praia do Trafal efectuada por mim, mas para mencionar que a sepultura foi encontrada graças ao olhar atento de um estudante do curso de Património Cultural da Universidade do Algarve e não por banhistas. Aqui no Testemunhos de Quarteira podemos observar vídeos que acompanham a degradação que a sepultura tem sofrido desde do momento da sua descoberta. Por último espero que a intervenção seja rápida para que se consiga recolher o máximo de evidencias arqueológicas que permitam uma vez mais reescrever ou adicionar novos dados à História de Quarteira que ao longo de anos tem sido tão mal-tratada.

"Esqueleto encontrado numa arriba perto do Vale do Lobo é indício de uma vila romana

Na praia do Trafal, situada entre Quarteira e Vale do Lobo, no Algarve, foi encontrado um esqueleto incrustado na arriba, numa zona referenciada como uma "vila romana". O recuo da linha de costa, acentuado no último Inverno, trouxe à superfície os vestígios arqueológicos do sítio designado por "Loulé Velho".

Os ossos expostos despertaram a atenção dos banhistas. As reclamações que chegaram à Câmara de Loulé levaram o município a propor "escavações de emergência" para preservar, na medida do possível, o património. As entidades com jurisdição na área - Capitania do Porto de Faro, Administração da Região Hidrográfica (ARH) e Igespar - deram o aval. O capitão do porto de Faro, Marques Pereira, disse que as "autorizações estão concedidas" e que fez um despacho na passada sexta-feira, recomendando que se proceda à vedação do local, por uma questão de segurança, quando os trabalhos se iniciarem.

O vereador da Cultura, Joaquim Guerreiro, disse que ainda não teve conhecimento do assunto, mas manifestou "preocupação, pela eventual perda de peças arqueológicas, e o impacto junto dos banhistas". O autarca salienta que o município só tomou a iniciativa de desenvolver este trabalho, "por falta de resposta das entidades com responsabilidade directa nesta área". Os achados arqueológicos encontram-se visíveis a partir da praia, facto que "tem levado a protestos e reclamações". O vice-presidente do Igespar, João Pedro Ribeiro, considera que é um "património que está em risco, por acção do avanço do mar" e que deve ser preservado. Os indícios apontam para a existência de uma "antiga povoação", mas não se trata de uma "área classificada".

Nestas circunstâncias, adiantou, o Igespar vai "disponibilizar uma arqueóloga" para colaborar com as escavações que se irão seguir, ainda sem data marcada, a cargo do município de Loulé.

O local está à mercê da investida de curiosos, daí a necessidade de uma intervenção que registe o que existe, uma vez que não existem meios disponíveis para aprofundar as prospecções e determinar qual a real dimensão e importância da povoação conhecida como "Loulé Velho", que tem vindo a cair aos bocados à medida que o mar avança sobre a terra." in, Público, 29.06.201

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Tradições: Barco à Vela no Porto de Pesca de Quarteira

Legenda: Barco à vela tradicional no Porto de Pesca de Quarteira

Culturalmente este sobrevivente transmite um discurso de que é possível a continuidade das tradições. Turisticamente preconiza um discurso de que é possível o aproveitamento das tradições contribuindo para uma maior diversidade da oferta cultural e tendo em vista o retorno monetário. Embora esteja presente esta dualidade entre antigo (vela) e o moderno (motor) acredito que a intenção de reviver é louvável.

sábado, 3 de julho de 2010

Sepultura Romana Praia do Trafal (loulé Velho) em Quarteira - III (Nada é feito!)

Penso que a persistência é um das palavras que mais caracteriza este blogue dos Testemunhos de Quarteira. Persistência perante situações que nos impedem de conceber uma visão mais vasta do nosso entendimento em relação à ocupação humana na nossa cidade. E persistência quando as autoridades competentes que têm o dever de se acautelar destas situações não o fazem correctamente... Temos uma sepultura romana na arriba da praia do Trafal que não irá sobreviver ao próximo Inverno. Convido o visitante a analisar as imagens presentes nos outros tópicos relativos a este assunto e diga-me o que tem vindo a acontecer? Basicamente desde do dia 14 de Abril de 2010 já faltam ossos nesta sepultura e a destruição por parte de curiosos é patente.
Estamos em 3 de Julho de 2010...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Postal de Quarteira do Ano de 1994

1994 - Ed. Artes Gráficas
Diga-se que a ausência de tópicos num blog nunca jogaram a favor da sua difusão e continuidade. Mas a vida é composta por muitas vicissitudes que impossibilitam uma actualização regular do mesmo, o que não implica que de tempos a tempos não se coloque algo. Deste modo decidi colocar, uma imagem relativa a um postal que encontrei no blog Os Meus Postais da Srª. Teresa Cruz. É um registo interessante de Quarteira no ano de 1994, uma época da história desta cidade em que o turismo de massas imperava.

sábado, 15 de maio de 2010

Dia da Cidade de Quarteira - João Carlos Santos apresenta a Palestra "Quarteira, Abordagem de um Topónimo"



No passado dia 13 de Maio de 2010, o nosso conterrâneo e para muitos coetâneo João Carlos Santos apresentou uma palestra no Centro Autárquico de Quarteira, onde foram colocadas algumas hipóteses que tentam desvincular da História de Quarteira a sua origem na mítica carteia.
Deste modo, lançou na cidade a discussão acerca da origem do topónimo Quarteira. Como sempre o Testemunhos de Quarteira também se encontra disponível para contribuir para essa discussão.
O que ficou na comunicação social;

"João Carlos Santos, quarteirense e estudante do Curso de Património Cultural na Universidade do Algarve, apresentou de seguida, uma palestra subordinada ao tema “Quarteira, abordagem de 1 Topónimo”, na qual falou sobre a origem de Carteia."
Esta palestra foi incluida nas Comemorações do XI Aniversário Cidade de Quarteira.

Sepultura Romana Praia do Trafal (loulé Velho) - II


No dia 14 de Abril foi colocado um tópico acerca da Sepultura Romana Praia do Trafal (loulé Velho). Hoje é dia 15 de Maio, se comparar os dois vídeos as diferença são notórias. O Testemunhos de Quarteira deu a sua contribuição e avisou as autoridades competentes só que é de lamentar a sua demora.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Sepultura Romana Praia do Trafal (loulé Velho)

Este pequeno vídeo é resultado da descoberta realizada pelo nosso conterrâneo, João Santos, estudante do curso de Património Cultural na Universidade do Algarve. Numa altura em que a arqueologia em Quarteira encontrava-se estagnada, esta descoberta vem novamente colocar o "mundo" da arqueologia romana local em alvoroço. Mas neste momento há uma pergunta que muitos poderão equacionar; será que estamos perante uma necrópole (cemitério)?

No local a tipologia de sepultura é igual a esta que foi escavada no Centro Histórico de Lagos. Podemos observar que esta sepultura é constituída por tegulae ou telhas romanas, formando um triângulo que cobriria todo o corpo. Era a chamada "Eterna Morada".

Legenda: Sepultura tardo-romana (Lagos)

Uma vez mais deixo um apelo, para que os habitantes desta terra estejam mais atentos para estas questões, sempre que encontrarem algo que considerem antigo não hesitem em contactar as autoridades competentes; divisão de arqueologia e história local da Câmara Municipal de Loulé, IGESPAR Silves ou então a Junta de Freguesia de Quarteira ou deixar aqui uma dica no blog.

terça-feira, 23 de março de 2010

Rancho Folclórico de Quarteira - Participa!

No Verão passado a actuação de ranchos folclóricos provenientes de freguesias do interior do concelho e não só, suscitaram grande interesse por parte dos Quarteirenses e visitantes. Afinal de contas, o tradicional é bem-vindo em Quarteira, e as propostas culturais de sucesso não são tão difíceis de elaborar.
É de louvar esta iniciativa, venha contribuir para enriquecer esta jovem cidade que anseia por contornos culturais específicos do local.
Na foto temos a nossa cantora Isa Brito, que segura uma folha que faz alusão ao recrutamento para o Rancho Folclórico de Quarteira. Se estiver interessado em participar deverá contactar a Srª. Isabel Rijo através do número: 916884416

Força!

sábado, 13 de março de 2010

Concorda que Quarteira seja a antiga Carteia?

Nunca é demais, relembrar que, toda e qualquer conjectura deve ser sempre fundamentada com base em fontes. O objectivo desta votação é lançar o repto para elevar a discussão em torno deste tema que tanto perturbou diversas pessoas ligadas à Historiografia. Quarteira apresenta-nos diversos mistérios que anseiam por ser desvendados, contribuir para o enriquecimento histórico da freguesia. Meus amigos, participem neste tópico, pois acredito que em relação a este tema todos temos algo a dizer.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Arriba da Praia do Forte Novo em Quarteira

Legenda: Arriba da Praia do Forte Novo

Legenda: Arriba da Praia do Forte Novo com vista para Quarteira
As questões do âmbito do património ambiental encontram igualmente importância neste blog. É dado adquirido (ou devia), que a salvaguarda do "Espírito do Lugar" cada vez, mais é fundamental para as sociedades. Ao ponderar acerca desta matéria, focando principalmente na problemática do Forte Novo, podemos concluir que a zona ao longo de quase 50 anos tem sido constantemente alterada. Esta situação cria mudanças abruptas na memória colectiva e sentimentos de pertença para com o lugar, logo não é de estranhar que o ICOMOS - Internacional Council of Monuments and Sites tenha esta questão do spiritus loci tão desenvolvida.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Planta de Quarteira - 1934

Legenda: Planta de Quarteira, 1934

"Interessante (e rara) esta planta de Quarteira, datada de 1934. O original é um desenho a tinta da china sobre tela.
À escala 1/1000, esta planta revela-nos um fragmento do tempo de Quarteira.
A actual Rua 25 de Abril era designada por "Rua Direita" e a Rua Vasco da Gama era designada por “Rua Direita da Praia“; a pequena Rua do Morgado é o que resta do “Caminho de Boliqueime“ e o Largo dos Pescadores era designado por “Largo da Atalaia“; a Rua Engº Duarte Pacheco era designada por “Rua do Correio“.
Em frente à praia, onde hoje se encontra a Praça do Mar, havia um campo de ténis.
A zona dos “Cavacos“ era ocupada sobretudo por lavradio e figueiras.
São assinaladas “cabanas de alvenaria com cobertura de junco“ e "cabanas só de junco“.
Na envolvente do Mercado é assinalada a existência de um “Forte em Ruínas“.
Pouco resta desta Quarteira de 1934 e é pena que o pouco que resta vá sucumbindo à voracidade do tempo, sucumbindo assim também a nossa memória colectiva."
in, Atelier Pedroso, Fevereiro de 2010

Este é um registo inestimável que o o Sr. Arq. João Pedroso colocou no seu blog "Atelier Pedroso" e que lança um olhar penetrante na configuração "urbana" de Quarteira no ano de 1934. Deste modo, o Testemunhos de Quarteira considerou ser de bom gosto dar mais ainda a conhecer este tópico.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Ruínas do Cerro da Villa em Quarteira.

Uma certeza temos, este território por volta do século I d.C era ocupado pela máquina militar e económica romana. O que torna as ruínas do Cerro da Villa um dos grandes exemplos da ocupação romana no Algarve e sem dúvida um dos sítios mais importantes. Espero ansiosamente por novas "revelações" oriundas do local arqueológico, quem sabe numa fonte epigráfica possa estar a resposta para o enigma do nome desta terra no período romano.

"Chumbada" ao Estilo Romano...

Trago até vós aquilo que podemos considerar como uma "chumbada" do período Romano, que terá sido utilizada em redes de pesca. É certo que existem em configurações diferentes, algumas mais pequenas e semelhantes às de chumbo utilizadas actualmente. Este artefacto foi encontrado pelo arqueólogo náutico Quarteirense Felizardo Pinto, que gentilmente permitiu tirar esta fotografia. Lamento não colocar nenhuma fonte disponível, mas devido à vivência anterior com artefactos do género posso com grande certeza afirmar esta ideia. Contudo, este blog está sempre disponível a discussão das matérias aqui apresentadas.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

LIFE Magazine - Parque de Campismo de Quarteira em 1964


Legenda: Capa da Revista LIFE de Outubro de 1964
Legenda: Parque de Campismo de Quarteira 1964
Legenda: Pequeno excerto da Revista LIFE
Uma maravilhosa surpresa, a conceituada LIFE Maganzine no número 17 de Outubro de 1964, faz alusão ao parque de campismo de Quarteira e da facilidade que era passar férias numa tenda. Podiam ser alugadas por 4 dólares por dia sem direito a refeições, menciona que por um custo mais reduzido era possível encontrar outro tipo de acomodações.* Em 1964 o fenómeno turístico na Praia de Quarteira estava no seu principio, contudo ecos dessa realidade emergente chegam à Revista Life.

*Life Magazine, Europe`s best travel Bargain, TimeInc, Vol.57, Nº17, 1964, pp. 1-65

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Povoado Neolítico da Praia do Forte Novo em Quarteira

Legenda: Vista geral do sítio arqueológico e fossa.
Para quem nunca suspeitou, que a zona de Quarteira fosse local de movimentações humanas ancestrais, aqui está a prova de um povoado Neolítico na Praia do Forte Novo. Segundo os Arqueólogos Leonor Rocha e Pedro Barros - técnicos do IGESPAR - a existência de certos materiais como cerâmicas com decoração mamilada, vasos e taças carenadas e com fragmentos de perfurações e ainda uma ponta de seta em sílex, colocam este local no Neolítico médio e final.*

No dia 17 de Fevereiro de 2010, devido aos mau tempo que se fez sentir, grande parte dos níveis onde decorreu esta escavação foram postos a descoberto. Para os mais curiosos, convido a irem dar uma vista de olhos. Só uma vista de olhos, é crime levar artefactos de cariz arqueológico para casa, há que alertar sempre as autoridades competentes no caso de descoberta.

* al-ulya, Revista do Arquivo Histórico Municipal de Loulé, Loulé, nº7, 1999, pp. 19-22

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Terramoto de 1755 - Maremoto em Quarteira

Este vídeo permite-nos ter uma noção do que poderá ter sido este grande cataclismo, que levou a destruição ao Portugal do século XVIII e nomeadamente ao litoral Algarvio.
Neste processo, Quarteira não foi esquecida.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Fragmento de Tegulae (Telha Romana) Praia do Trafal

Tegulae ou telhas eram feitas de argila e, colocadas em moldes que ainda com a argila húmida eram retirados, colocados num forno para secar e endurecer. Há que mencionar que todas as telhas e até tijolos recebiam a marca com o nome do fabricante e do Imperador vigente.*

Neste breve video, o Prof. Doutor João Pedro Bernardes, especialista em arqueologia romana explica a funcionalidade destas tegulae. Contudo, é importante que fique presente a existência de evidencias arqueológicas - como este fragmento de tegulae - relativas ao período romano na Praia do Trafal em Quarteira.

*Macaulay. A Cidade Planificação e Construção de Uma Cidade Romana, pp. 24

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Centro Histórico de Quarteira II - Imóveis do C.H

Este conjunto de imagens mostra os vários edifícios que formam o conjunto a que podemos chamar Centro Histórico de Quarteira. Estes imóveis não se encontram inventariados, logo sem protecção legal.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Centro Histórico de Quarteira - Consagrado em Diário da República.

"No Diário da República, 2.ª série — N.º 41 — 27 de Fevereiro de 2008, podemos encontrar esta informação muito interessante. Afinal alguém "reconheceu" a existência de um Centro Histórico em Quarteira, embora o que realmente interessa é a inventariação dos imóveis e respectivas delimitações do centro histórico. Veremos o desenrolar desta situação que tanto aflinge os Quarteirenses."
in, Café da Avozinha, 2009

Uma rápida inventariação pode salvaguardar os imóveis que se encontram com sérias patologias. Porque o acto de inventariar, alerta a quem de direito para a emergência de serem efectuadas intervenções.