quinta-feira, 12 de julho de 2012

Tentativa de Roubo do Busto do Poeta Pardal

No início da semana, um prevaricador mal intencionado, ainda não identificado pela polícia tentou roubar o busto em cobre em homenagem ao Poeta Pardal situado no parque com o mesmo nome. Enquanto decorria o acto ilícito e que muito nos pesaria se fosse levado a bom porto,  o sujeito foi interpelado por um elemento do executivo da Junta de Freguesia que devido à sua acção rápida recuperou o busto.
O prevaricador colocou-se em fuga. Asseguro-vos que o busto encontra-se salvaguardado no interior das instalações da Junta de Freguesia.

 Busto de Manuel de Brito Pardal "Poeta Pardal"

"Eu ser aquilo que sou...
Muitos não são, querem ser.
Já nasci com este dom,
Não foi preciso aprender."

 Púlpito 

"- Bem podias tu, Pardal,
Casar com a Cotovia!
- Eu podia... mas não quero,
Que ela toda a noite pia!"


Púlpito aproximado

"Trabalho uma vida inteira
Com uma pesca na mão:
Não sei qual é a manera
Que não apuro um tostão."


Manuel de Brito Pardal, nasceu em Quarteira em 1916, faleceu na década de oitenta do século XX. Conhecido como o único poeta popular português que foi pescador, a sua obra foi compilada por J.R. Brazão e é publicada em 1977 com o nome "Em Cima do Mar Salgado".

Foto de Álvaro Tavares

Santos, Manuel, Subsídios Para a História da Poesia do Algarve (Séc. XI - XX), Edição «Voz de Silves» e «Gazeta de Lagoa» 10 de Junho de 2000.

Foram Descobertas as Sapatas da Antiga Central Eléctrica de Quarteira

Na antiga sede da Junta de Freguesia de Quarteira estão a decorrer obras que visam a construção e implementação de um Pólo da Biblioteca de Municipal de Loulé, dotando, finalmente, a freguesia deste tão desejado equipamento cultural. Todavia, ao partirem o chão, mesmo por baixo do espaço correspondente à antiga sala da Assembleia de Freguesia, os empreiteiros deram noticia de terem encontrado duas sapatas as quais foram, imediatamente identificadas e relacionadas com a antiga Central Eléctrica. Estas sapatas tinham como função servir de base estável aos dois motores a diesel que iluminavam, já na altura esta solicitada aldeia turística. 
 Antigas instalações da Junta de Freguesia de Quarteira

Sapata a descoberto


«Iluminação de Quarteira», Ano XXXIII, Faro 15 de Maio de 1952, nº 1798

Uma pequena nota informativa proveniente do Jornal Correiro do Sul, na edição de 15 de Maio de 1952, dá-nos conta de uma avultada quantia para remodelação, ampliação e substituição da rede de baixa tensão da Central Eléctrica. Por ventura, as sapatas podem corresponder a esta intervenção de 1952. Ainda assim, há que notar o relevo que possuía a Junta de Turismo de Quarteira, ao receber esta quantia para o desenrolar das obras, sabendo nós, que na época já a Junta de Freguesia encontrava-se em plenas funções. 

*Seria de bom grado enaltecer esta descoberta com uma placa alusiva à Central Eléctrica, a ser colocada a quando da finalização das obras, para que este local não desvaneça da nossa memória colectiva. 

quarta-feira, 11 de julho de 2012

João Carlos Santos - Jovem licenciado apresentou tese sobre topónimo de Quarteira


João Carlos Santos, jovem quarteirense, pescador, recém-licenciado em Património Cultural pela Universidade do Algarve e, acima de tudo, um apaixonado pela terra que o viu nasceu, juntou-se à festa do 13º aniversário de Quarteira para apresentar o livro “Quarteira, o Topónimo e a Povoação dos Séculos XIII ao XIX”, no âmbito da sua tese de licenciatura.

Este momento contou com a presença de Rosa Mendes, docente da Universidade do Algarve e um dos responsáveis pelo curso de Património Cultural e que falou sobre o percurso académico deste jovem. “O João Carlos Santos é um quarteirense de gema e desde o primeiro dia de aulas fez questão de o afirmar. Foi um excelente aluno, em condições difíceis, já que é filho de um pescador e ele próprio é pescador. Manifestou a vontade de fazer uma tese de licenciatura acerca de Quarteira que está consubstanciada neste livro. O mérito é todo dele”, disse este professor.

O livro é um ensaio sobre a origem do topónimo Quarteira, desde sempre referido como remontando ao período romano e à antiga Carteia, teoria que João Carlos Santos vem contrariar, nomeadamente com as referências a “Quarteyra” no Foral de Loulé, em 1266.

CMloulé [Online]. [Consultado em 13 de Maio de 2011]. Disponível em:  WWW: http://www.cm-loule.pt/noticias/4192/quarteirenses-de-merito-distinguidos-no-13-aniversario-da-cidade.aspx